Escolha uma Página
Compartilhe os Colegas!

Decisão foi mantida no TRT.

telemak1447834434

Um operador de telemarketing foi demitido por justa causa por utilizar expressões de baixo calão ao se comunicar com colega no sistema de bate-papo eletrônico da empresa.

O trabalhador ingressou com reclamação trabalhista pleiteando a reversão da justa causa, tendo em vista que a empresa não observou a cláusula de um acordo coletivo firmado, que garante direito de defesa a todos os empregados acusados de atos passíveis de punição disciplinar.

A reclamada, por sua vez, afirmou que o reclamante havia cometido atos de indisciplina, insubordinação e desacato aos superiores, além de se ter conversado com colega em sistema interno da empresa, utilizando palavras de baixo calão, e de ter inserido palavrão no cadastro de um cliente.

Tanto em primeira instância quanto no TRT da 9ª Região a justa causa não foi revertida, inconformado, o reclamante recorreu ao TST, que manteve a decisão.

De acordo com o relator, ministro Alexandre Agra Belmonte “[…] a concessão de defesa ao empregado não afasta a gravidade da falta cometida e reconhecida pelo empregado. […] Nesse contexto, é irrelevante que as formalidades contidas em norma coletiva não tenham sido observadas pela empresa, bem como o fato de que ao autor não foi oferecido prazo para apresentação de defesa, pois o próprio autor reconheceu que cometeu falta grave.”

Fonte: JusBrasil

Compartilhe os Colegas!
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com